segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Capítulo 8 - Então é isso?


Jorge acordara ainda com um sneitmento de culpa o invadindo. Ele sabia que não tinha feito nada de errado, ou simplesmente pensava isso, porque Hermione ficara tão chateada? Todos pareciam chateados com ele.. Ao se levantar viu uma carta em cima da mesa com um jornal amarrado nela.
"Para Jorge Billius Weasley, um convite para dar uma entrevista sobre 
a sua loja n'O profeta diário. Por favor responder esta carta com mais urgência possvel.
Grato,
Arnaldo Witwik, editor."
"Uau. Eu, Jorge Billius Weasley, dando uma entrevista n'O profeta? Clro que eu vou aceitar uma tima oportunidade para deixar a Gemialidades mais famos ainda, espero que papai e mame aprovem" Pensou. Vestiu o seu roupo laranja que continha as iniciais JBW e desceu.
- Mãe? - Ele descia as escadas segurando a carta
- Oi Jorge estou aqui. Aconteceu algo?
- Leia - Ele entregou a carta para ela
- Oh, por Merlin! Vai fazer uma entrevista? Que maravilha Jorge, mas por favor nada sobre a guerra em Hogwarts ok? Milhares de vezes Harry foi convidado para fazer e ele disse que se sentiria fazendo algo errado dando essa entrevista, e tambm por todos os que foram mortos na guerra.
- Não mãe, fique tranquila, no vou dar entrevista sobre isso mas sim sobre a loja! E não fale assim, "Harry recebeu vrios convites" desqualifica o que eu consegui.
- Não, não. Desculpe! - Ela o beijou na bocheca - Aqui está o seu café da manhã.
- Ovos e bacon com suco de laranja. Boa mãe.
- Sabia que ia gostar. Ah, olá Harry, bom dia.
- Bom dia sra. Weasley, bom dia Jorge.
- Dia - E piscou rindo, assim como fez quando encontrou Harry e Gina se beijando na manhã do casamento de Gui e Fleur. Harry riu.
- Onde está Ron?
- Dormindo cláro. Se não está aqui comendo, está dormindo não é? Não sei como vai voltar para Hogwarts nessa rotina, só falta uma semana e meia para voltarmos das férias de natal.
Pouco a pouco toda a famlia foi descendo e se juntando na mesa, e cada um tomando o seu rumo. Harry e Ron foram espantar os gnomos de jardim, Hermione e Gina foram regar as plantas, Jorge foi para o Ministrio com seu pai, para ir na edio d'O profeta diário.
ooo
Ele bateu na porta.
- Dia. Sou Jorge Weasley, dono da Gemialidades Weasley, recebi uma carta hoje do sr. Witwik e..
- Sim, sei quem você. Ande, me acompanhe.
- O gêmeo seguiu a mulher baixinha e estranha que usava um chpeu "á la Lovegood".
- Belo chápeu sra...
- Obrigada - Ela seguiu para a recepo e o deixou em frente a uma porta, ele bateu e um homem de sua altura, com cabelos grisalhos, terno preto e culos wayfarer abriu a porta e o cumprimentou.
- Olá sr. Weasley, sou Arnaldo Witwik, podemos começar a entrevista agora?
- Você que vai me entrevistar?
- Pode ser eu? - Ele deu uma risadinha
- Tudo menos Skeeter, por favor - Os dois riram
- Por aqui rapaz. Sente-se, fique a vontade - Ele pegou um frasco - Uísque de fogo?
- Não, muito obrigado.
- Então, como surgiu a ideia de criar a loja?
- Bem e eu e meu falecido irmão nunca fomos muito acadêmicos, mas sempre gostamos muito de pegadinhas, brincadeiras e piadas. Então criar a loja um meio de ganhar dinheiro fazendo o que mais gostamos. Daí que surgiu a ideia.
-  É verdade que você abandonou Hogwarts junto de seu irmão fazendo baderna enquanto alunos faziam N.O.M.'s?
- Isso mesmo. Foi divertido ver a cara da Umbridge.
- Como está sendo para você cuidar da loja sem seu irmo?
- Vamos falar apenas de negócios. Por favor.
- Você abriu vagas certo? Muitos funcionários já?
- Na verdade no tive muito tempo para isso, só contratei dois que são de confiança.
- Por que o nome Gemialidades?
- É uma mistura de gêmeos com genialidades.
- Bem escolhido. Você quer deixar algum recado especial para alguém?
- Para minha namorada, e para toda minha famlia. Harry e Hermione, vocês são minha família também, só para constar.
- Harry Potter? 
          - Em osso e óculos - Witwik riu - Mas não vamos falar dele. 
          - É isso então. Muito obrigado - Ele se levantou e cumprimentou Jorge.
- Só isso? - Ele retribuiu o cumprimento
- Você queria mais? - Arnaldo riu - Isto é mais para divulgar a sua loja, uma pequena entrevista. O mundo bruxo precisa de você, meu amigo. Suas ideias são geniais. Você e o seu irmão que fizeram não é?
- Sim, temos até rascunhos de coisas futuras que exigem mais dinheiro e tempo.
              Jorge ficou muito feliz em ter dado a entrevista pois sabia que apesar de ter sido curta repercutiria muito no mundo bruxo. Ele achou muito legal da parte de Witwik divulgar a loja pois a achava genial, ele até apareceu com seus dois filhos lá e comprou coisas, os dois conversaram bastante sobre várias coisas, até viraram meio amigos, conversavam e Witwik deu um mês de Jornal grátis para Jorge, sem contar que a foto da matéria tinha ficado muito boa.
4 semanas depois...
              Jorge acordou, tomou banho, escovou os dentes e desceu para tomar café-da-manhã com a família, qual já se encontrava completa sentada na mesa comendo.
- Por favor, sem bagunça, vocês sabem que minha namorada vem aqui hoje não é? – Jorge falou e provocou rebuliço na família. “Sua namorada?” “ Nossa finalmente” “Estou louca para saber quem ela é” “Espero que seja bonita” “Diga logo quem é!” – Acalmem-se vocês, parecem um bando de loucos. Não sejam assim quando ela chegar aqui, por Merlin!
- Estamos ansiosos. Não temos culpa se você resolveu esconder sua namorada da gente por esse tempo todo Jorge! – Ron disse
- É verdade. Afinal, qual é o grande mistério? Ela é trouxa por acaso? – Gui perguntou
- Não mesmo – Jorge disse
- É uma veela?
- Bem, para mim ela é. Mas pra vocês, disso eu já não sei.
- Lógico que ela não é uma veela. Nenhuma iria querer Jorge. Confesso que só vou acreditar que ele está namorando quando ela estiver aqui, sentada nessa mesa, e falando como uma pessoa normal. – Gina disse e todos riram
- Muito engraçado vindo de você Gina, que namora o magrelo do Harry – Jorge disse
- Ei, cara! Ainda estou aqui! – Harry disse
- Qual é Harry, você sabe que eu sempre te achei lindo. Principalmente agora que está famoso!
- Agora que estou famoso? Mas eu sempre fui! – Todos da mesa riram e assim mais uma vez cada um tomou o seu rumo, seja para o trabalho, seja para ajudar em algo, seja para dormir ou estudar.
              Mais um dia na loja foi produtivo, apesar de ter ocorrido dois furtos do mesmo garoto. Ele negava ter roubado o Nugá sangra nariz, mas o seu nariz parecia discordar do que o garoto dizia, Jorge simplesmente relevou, mas meia hora depois o mesmo garoto estava vomitando na loja, e ele dizia que não tinha roubado uma vomitilha, Jorge deu o antídoto para que ele parasse de vomitar a loja inteira, mas dessa vez cobrou pelo que o menino havia roubado, sua mãe ficou desapontada. Winky trabalhava muito bem e estava se relacionando bem com Jorge, ela o ajudava a fechar a loja e dormia/morava nos fundos. Jorge dava permissão para ela passear e outras coisas, mas bebidas não, pois ele sabia que o histórico da elfo era bem longo em relação a bebidas alcoólicas. Ao fim da tarde, fechando a loja Angelina apareceu já pronta para jantar na casa dos Weasleys, Jorge havia tomado banho e se vestido na loja mesmo, pois já queria chegar em casa pronto para o jantar, ele pediu que Angelina esperasse e escreveu uma carta para a mãe perguntando se o jantar estava pronto, rapidamente ela respondeu e disse que sim, ele enviou uma resposta mandando todos irem aos seus quartos, menos ela, pois ele não queria que vissem Angelina assim que chegasse, ele queria uma surpresa enorme para os familiares. Os dois chegaram em casa e todos estavam em seus quartos, ou pelo menos não estavam na sala de jantar/cozinha.
- Mãe, chegamos. Essa é Angelina Johnson. Angelina, essa é minha mãe, Molly – As duas se cumprimentaram, apesar da estranheza no rosto de Molly, ao ver o filho a namorando – Eu já vou chamá-los para jantar, Angelina, tudo bem pra você me esperar aí? É rápido – Ela assentiu, ele a beijou e foi chamar os outros. – VAMOS, ELA CHEGOU, QUEM QUISER A CONHECER, ELA ESTÁ LÁ EM BAIXO E.. – Antes que ele terminasse todos saíram de seus quartos e saíram correndo para ver a nova namorada de Jorge, até o deixaram para trás, mas ele saiu correndo e gritando “esperem, eu tenho que mostrá-la primeiro” eles corriam com um ânimo mas quando a viram conversando com Molly todos pararam subitamente fazendo que Jorge esbarrasse em todos. Eles estavam boquiabertos.
- Bem... – Ele estava ofegante – Ess.. Essa é minha namorada..
- Angelina Johnson – Ela o interrompeu, estendendo a mão primeiramente para      Arthur, Percy, depois Gui, Fleur, Hermione, Rony e em seguida abraçou Gina, que parecia estar em choque. – Que saudades de você Gina! Ainda joga quadribol?
- Jogo. Jogo sim. – Ela respondeu. Molly percebeu a tensão de todos e chamou para jantar.
              O jantar seguiu tranqüilo Jorge percebia algo de diferente, a família toda estava estranha, tensa, será que sabiam que ela era ex de Fred? Deviam saber, mas provavelmente não era por isso que estavam estranhos, talvez só pela presença dela, e por ela ser namorada de Jorge, afinal ele nunca tinha namorado ninguém, pelo menos não de apresentar para a família. Ao acabar o jantar todos cumprimentaram Angelina novamente e assim ela foi embora. Jorge a deixou lá fora antes de ela aparatar para sua casa.
- Adorei conhecer sua família, me sinto mais próxima de você, sinto que você quer algo sério comigo agora.
- Só agora que você percebeu isso? – Ele a beijou e assim ela aparatou de volta para casa. Ele abriu a porta e entrou em casa.
            - Então é assim Jorge? – Rony falou e parecia irritado
            - Ron, não vale a pena. Não tem nada haver.
            - Cala a boca Gui! Se você não concorda com o que eu vou falar suba
            - Gente, eu não estou entendendo – Jorge falou
            - Então você espera Fred morrer para roubar sua namorada? – Molly que estava lavando a louça escutou e parou o que estava fazendo. Todos estavam estáticos com a “conversa” dos dois.
            - Ronald! Pare com isso! – Molly falou
            - Como assim Rony? – Jorge o respondeu
            - Ah você entendeu bem o que eu disse. Ou a sua orelha perdida não deixou? Espere – Ele foi ao lado do gêmeo que não tinha uma orelha e gritou – COMO OUSA ESPERAR FRED MORRER PARA ROUBAR SUA NAMORADA? – E após gritar no seu ouvido o empurrou contra a parede.
            - Ronald, pare com isso! – Hermione falou
            - Me desculpe Hermione, mas não posso.
            - CARA VOCÊ ESTÁ LOUCO? VOCÊ ACHA QUE EU ESPEREI MEU IRMÃO MORRER PARA FICAR COM ANGELINA? EU A CONHECI DE VERDADE A POUCO TEMPO E ESTOU APAIXONADO POR ELA, FRED APROVARIA!
            - NÃO APROVARIA COISA NENHUMA! VOCÊ FAZ ISSO PORQUE SABE QUE ELE ESTÁ MORTO E NÃO PODE INTERFERIR.. COMO VOCÊ PODE JORGE? COMO?
            - Calem a boca vocês dois! Parem com isso – Gina chorava
            - NÃO VÊ O QUE ESTÁ FAZENDO RONALD? OLHE SÓ ISSO? – Jorge abraçou Gina
            - Ron, cara, pare, sério. – Gui falou
            - AH CALEM-SE, VOCÊS CONCORDAM COMIGO, VOCÊS SABEM O PORQUÊ DE EU ESTAR FAZENDO ISSO.
            - Ronald as coisas não funcionam assim! Para com isso seu idiota! – Percy falou
            - Olhem só, o certinho. Está defendendo Jorg.. – Ele foi interrompido com um empurrão de Jorge que o jogou para o outro lado da sala.
            - ESTÁ FICANDO LOUCO RONALD? VOCÊ SABE O QUANTO EU SOFRI PELA MORTE DELE, NENHUM DE VOCÊS SOFREU TANTO QUANTO EU SOFRI, VOCÊS NÃO TEM IDEIA DE COMO FOI DIFÍCIL PARA MIM. E VOCÊ RONALD, COMO OUSA VOCÊ ME ACUSAR DE UMA COISA DESSAS?
            - SEU GRANDE IDIOTA! – Os dois começaram a brigar e se bater, a testa de Jorge sangrava pois Rony tinha batido ela contra a parede, e a boca de Rony sangrava por causa do soco que Jorge tinha lhe dado.
            Hermione, Gina, Fleur e Molly choravam.
            - Parem com isso, vocês são irmãos! – Molly gritou
            - Ronald! Pare! – Hermione gritou
                        Percy, Arthur e Gui tentavam separá-los, mas estava impossível, até que Percy lançou um feitiço nos dois e eles pararam.
Estupefaça! – Os dois caíram no chão em lados diferentes
- Ronald e Jorge, eu estou envergonhado por vocês dois – Arthur falou. Jorge correu para tentar machucar Ron novamente, mas dessa vez com a varinha mas Gui gritou“Expelliarmus” e Jorge e Ron estavam sem varinhas, sangrando, suados e ofegantes.
- Vocês... Vão ganhar um castigo tão grande! – Molly falou
- Percy, covarde. Não conseguiu nos separar com força e usou magia não é? Covarde – Ron disse.
- Ah cale a boca Ron, como se você fosse corajoso não é? – Jorge falou. Ron tentou correr para brigar com ele de novo mas Gui estava o segurando, Percy e Harry seguravam Jorge. Hermione e Gina estavam abraçadas, enquanto Fleur estava no sofá, sentada, suando frio.
- Ah quer saber – Ronald falou e se soltou de Gui, dizendo que não iria mais brigar com ele – Vou embora daqui. Vocês vem? Harry e Hermione?
- Ronald, venha cá, eu vou limpar os seus.. – Hermione foi interrompida por ele
- Eu perguntei: Harry e Hermione, vocês vão vir? Estou indo embora – Molly estava aos prantos.
- Não Ronald, nós não vamos. Se quiser, vá sozinho – Harry abraçou Hermione
- Tudo bem. Mais uma vez vocês dois juntos e eu? Sozinho – Ele colocou um casaco, olhou para Jorge e disse – Pensava que estava sofrendo com a morte de Fred, mas vejo que não – E assim saiu andando pela mata. Jorge se levantou e disse.
- Espero que cada um aqui saiba, o quanto eu sofri e estou sofrendo por Fred. Encontrei uma força para viver em Angelina, e quem for contra o meu namoro com ela, sinto muito, mas vocês vão ter que me ver junto dela. Ou morto. – Assim ele saiu atrás de Rony. Molly pediu que ele ficasse mas Gui disse que eles iriam se resolver, afinal não iriam se matar.
                        Rony andava com passos fortes pela mata, Jorge jogou um feitiço nele que fez que ele caísse. Rony se levantou bufando e lançou um Expelliarmus nele, depois Estupefaça, Jorge sentiu muita dor ao cair no chão.
- Ronald, seu completo babaca.
- Jorge, seu completo traidor.
- Eu não traí Fred.
- Ele morreu cara. Como pode fazer isso? – Os dois começaram a se bater de novo, estavam completamente ensangüentados. Jorge jogou Rony no chão e chutou sua cara, que agora estava ensangüentada e cheia de terra. Rony gemia de dor e pegava no nariz, parecia estar quebrado. Jorge estava com medo de ter machucado o irmão que parecia rendido a dor. Jorge o puxou pela camisa chorando e Ron disse:
- Desisto, pode me bater o quanto quiser – Jorge o levantou pela gola da camisa e deu-lhe um abraço forte, como nunca havia abraçado o irmão antes, e eles ficaram ali, no escuro no meio do nada, se abraçando e chorando, juntos.
- Desculpa, desculpa, desculpa. Eu não queria te machucar, eu não sei porque fiz isso, desculpa, eu te amo cara, eu te amo muito – Jorge dizia para Ron
- Eu não queria machucar você também Jorginho, eu te amo – Ele chorava assim como Jorge
- Eu estou sofrendo muito. Fred era um pedaço de mim, e quando ele morreu.. Desde então eu me sinto incompleto, falta um pedaço do meu coração, e de certa forma Angelina preencheu um pouco desse vazio, eu nunca vou me sentir completo, Fred é a minha alma. Me sinto beijado por um dementador – Rony se derramou em lágrimas
- Eu também estou sofrendo muito, parece que não, mas sim. Sinto um sofrimento que parece ser maior do que o da mamãe. Sinto tanta falta dele Jorge. Tanta.
- Eu também Ron. Eu também.
                        Eles permaneceram abraçados por um longo tempo, Ron estava com a cabeça deitada no ombro de Jorge, e chorava como uma criança, assim como Jorge.
- Ande, vamos voltar para casa, devem estar preocupados – Jorge disse e os dois caminharam até A toca, e permaneciam abraçados.
                        Jorge abriu a porta e viu Molly abraçada com Percy, Hermione abraçada com Harry e Gina.
- Voltamos, está tudo bem, apesar de nossa cara estar um pouco vermelha e o nariz de Ron estar um pouco torto. Chute certeiro – Molly e os outros abriram um sorriso mas não foram abraçá-los nem nada, além de Hermione que agarrou-se a Rony.
- O que está acontecendo? Estamos de volta! – Rony falou abraçado com Mione
- Olhe em volta Ronald, não sente falta de ninguém? Além de Fred....
- Sim. Papai, Fleur e Gui. Por que? – Molly chorou mais ainda, Percy a acariciou.
- Fleur passou mal depois da briga que tiveram. Está em risco de perder o bebê – Percy falou – Se era isso que queriam, bem, parabéns, conseguiram.
- O QUE? Não cara, lógico que não queríamos, onde eles estão? – Jorge falou. Ele e Ron se sentiam muito culpados pelo que tinha acontecido – Temos que ir vê-la, pedir desculpas.
- Estão no hospital, mas vocês não vão. Ficarão aqui, como todos nós, esperando notícias – Harry falou.
                        Fleur estava em risco de perder o bebê. E se isso acontecesse, os dois jamais se perdoariam por isso! 

2 comentários:

  1. EU NÃO SEI PORQUE FICOU ASSIM ESSA POSTAGEM, MAS SE VOCÊS APERTAREM CONTROL+A VAI DAR CERTO!

    ResponderExcluir