sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Capítulo 4 - Era pra ser surpresa!


       Jorge acordara aquela manhã com batidas fortes na porta
- Jorge, acorde! – Era sua mãe – O café está pronto!
- Mas que p.... – Ele se sentou na cama desarrumada e passou a mão nos cabelos assanhados. Se levantou para abrir a porta e gritou – Já estou indo! – Foi ao banheiro escovar os dentes quando ouviu um barulho no quarto, ao voltar.. – Errol! Uma carta para mim? – A ave piou alto confirmando a pergunta – Legal. – Errol saiu voando pelo quarto, mas ao tentar sair, bateu na janela – Pássaro idiota, sempre fazendo isso. Venha, vou ajudar você, mas só porque estou de bom humor. – Seu coração bateu mais rápido ao ler:
 “Angelina Johnson. Para Jorge Weasley.
                                     Me desculpe ter ido embora tão rápido naquela noite. Soube que fomos vistos? Está tudo meio confuso na minha cabeça. Será que poderíamos nos encontrar de novo?”
         Nenhum minuto e ele já estava respondendo:
“Jorge Weasley. Para Angelina Johnson.
                                  Soube, estou de castigo por isso. Na minha também, vou falar com a mamãe e dizer que vou resolver negócios da Gemialidades, talvez assim ela deixe eu sair. Beco Diagonal, número 90, 3:00 horas. Nos vemos?”
                                                                       Ooo
                    Harry e Gina, Ron e Hermione, Fleur e Gui, Molly e Arthur todos estavam na mesa comendo, a não ser Percy, que já tinha ido trabalhar. Jorge ficou feliz ao pensar que um dia poderia levar Angelina para ficar na sua casa, que eles poderiam ficar o dia inteiro abraçados. Mas será que não estava indo rápido demais? E se ela não sentisse por ele a mesma coisa que ele sente por ela? E se tudo foi apenas porque ela estava bêbada?
- Nossa. – Disse Ron de boca cheia – Viu um fantasma? Está com uma cara ótima. – Ron riu.
- Nossa Ronald, como você consegue ser tão engraçado? – Disse Jorge pegando alguns waffles – Vou sair hoje mãe. Negócios.
- Não vai não. Lembra que você duvidou de mim?
- Mas são negócios mãe, coisas da Gemialidades, não posso deixar de lado.
- Certo, eu vou com você.
- Ah fala sério! Não vai não. Por que iria?
- Para garantir que se comporte, diante do último acontecimento.
- Gemialidades não tem nada haver com você. Vou sozinho.
- JORGE WEASLEY! EU JÁ DISSE QUE VOU COM VOCÊ, QUEIRA OU NÃO. OU EU VOU COM VOCÊ, OU VOCÊ NÃO VAI. – Ela se retirou da mesa e foi até seu quarto, todos tinham parado diante do que viam, estavam perplexos. Jorge levantou-se e foi andando até o quarto da mãe.
- Jorge. – Gui o chamou – Vá com calma, Fleur viu mamãe chorando ontem enquanto limpava o seu quarto e olhava fotos suas com Fred. Ela perdeu Fred cara, não quer perder você.
- Deixa comigo.
                                                                         Ooo
- Conheci uma garota e estou apaixonado. – Jorge falou sentando se na cama da mãe, ao lado dela.
- A que estava com você em Hogsmeade?
- Sim. Eu já a conhecia na verdade, é Angelina Johnson, ex artilheira do time de quadribol da grifinória.
- Ex de Fred.
- Também. – Os dois se calaram e passou um certo tempo. – Mãe, você tem que encontrar forças para superar a morte dele. Sabe, ninguém ficou feliz com isso, e Harry, ele se sente culpado até hoje, e acho que sempre vai carregar isso nele, vejo quanto ele fica desconfortável quando falamos de mortes na guerra de Hogwarts. Você precisa encontrar uma força para se manter, eu encontrei Angelina, você, bem.. Tem seis filhos e ainda terá um neto!
- Jorge.... Não me diga que..
- Não mãe, não é meu. Fleur e Gui! Esqueceu?
- O qu.. – Ela desmaiou.
- Opa. 
                    Jorge desceu as escadas correndo.
- GUI! – Ele falou ofegante – Como pôde não contar pra mamãe que vai ser pai? Agora mamãe está desmaiada!
- O quê? Jorge! Como você ousa contar isso? Era surpresa!
- Como você ousa não me dizer que não tinha contado isso ainda?
- Espera, eu vou ser avô? Me dê um abraço Fleur e Gui.
- Agora não dá, pai. – Todos se levantaram da mesa e foram correndo até o quarto de Molly e Arthur, chegando lá conseguiram fazer Molly acordar.
- Tive um sonho muito engraçado, sonhei que você Gui...
- Ia ser pai? Mãe, não foi um sonho. – Rony riu.
- Oh, pelas barbas de Merlin! Que ótimo, temos que preparar tudo para o bebê, um quarto, um banheiro, eu posso tricotar roupas, como vai ser o nome? É menino ou menina?
- Mãe.
- Que maravilha, mesmo. Eu não esperava ter um neto tão cedo. Espero que nasça ruivo, como a família. Se bem que vocês poderiam ter outro para que nascesse loiro como os Delacour.
- Mãe! Nós vamos nos mudar. – Disse Gui
Senhorrra Weasley... É melhor, querrremos uma casa parrra o bebê, a nossa prróprria casa, somos um casal, e devemos morar juntos.
- Sim, mas por que não juntos, mas n’A toca?
- Queremos uma casa só para nós.
- Oh Gui, estou tão feliz. Mas vocês virão nos visitar sempre não é?
- Com certeza mamãe, todos os dias. – Molly estava com lágrimas nos olhos.
- Abraço Weasley! – Todos se abraçaram, exceto por Harry e Hermione que olhavam sorrindo para o abraço, Molly disse – Ah, vamos lá Harry e Hermione, vocês são da família também! – Os dois amigos abraçaram a família. Depois do abraço todos ficaram conversando e Jorge aproveitou para sair de fininho ao encontro de Angelina. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário